Agendamento e informação através do e-mail evaldo@foniatria.med.br

EVOLUÇÃO DA ESCRITA

evolução da escrita foi constatada em clientes com dificuldade escolar, com queixa de desatenção e inquietude (TDAH), as vezes referidos como imaturos, com mau desempenho na escrita ( padrão gráfico ruim, com trocas e omissões de letras), além de leitura truncada e sem compreensão. (No Link Leitura e Escrita vide o texto “Dificuldade Escolar”).

A avaliação clínica desses clientes, na realidade inteligentes e com bom potencial, deixou nítida, em todos os casos, a falta de habilidade para lidarem com a “relação causa/efeito”. Isso comprometia sua atuação em diversos contextos, inclusive na escrita. (Para tal questão, vide “Hipotonia” e, em Leitura e Escrita, “Pré-requisitos para aquisição da leitura e da escrita”).

O tratamento nesses casos consistiu na orientação da família e a necessária correção metabólica. O ganho para o cliente se manifesta, entre outros, na melhor capacidade de interação e na melhor adaptação a diferentes situações. Esse resultado, também foi observado na modificação que se constata do padrão gráfico, como nos exemplos elencados abaixo, em que o aspecto mais importante é a melhor organização do espaço. Houve melhora no resultado de terapias isoladas ou em associação (fono, psicopedagia, T.O. psicológica)

Nos casos apresentados, a medicação para correção metabólica foi ministrado com duração de 80 a 90 dias, seguido de nova amostragem de seu padrão gráfico (escrita). A medicação é repetida depois do intervalo de um mês.

Obs: seguem a visualização das amostras dos padrões gráficos antes e depois